SSGamers - Fique atualizado
Chegou o novo tema 6.1.3 / SSGames - Servidores online de qualidade - Inscreva-se Ja! é entre para nossa comunidade! - Ouça nossa web radio -Veja nossas novidades - Participe dos nossos setores de jogos online - Parcerias aberta fale já com um administrador.

Acessibilidade e mobilidade urbana

Weslley_Script
SS - Fundador
SS - Fundador
Weslley_Script
Steam Steam : WeslleySSGames
Zello : WeslleySSGames
Mensagens : 9109
Moedas : 1024576
Data de inscrição : 06/10/2011
Idade : 24
Localização : Brasil

Mensagem por Weslley_Script em Qua 2 Nov 2016 - 16:40

No meu último texto fiz uma exposição sobre o processo de urbanização de nossas cidades e suas consequências. E hoje quero chamar um pouco à atenção para um tema muito importante no planejamento de nossas cidades e construções, a ACESSIBILIDADE e Mobilidade Urbana.
Acessibilidade e mobilidade urbana significa a grosso modo permitir que pessoas com deficiência tenham direito de ir e vir, mas para quem trabalha com o assunto  complementa-se  a definição com a necessidade que nossa sociedade seja conscientizada para mudar atitudes. Garantir o acesso é um dever de todos e principalmente do governo, pois é através dele que são inseridos meios e regras, para garantir a acessibilidade de forma isonômica em todo o país.
No ano 2000 foram criadas duas importantes leis para quem necessita de acessibilidade, a Lei nº 10.048 que dá prioridade de atendimento
as pessoas que a lei especifica e a Lei nº 10.098 que estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade. Foi um enorme avanço estas leis porque criou no Brasil uma regra universal e uniforme que deve ser adotada por todos  os municípios sem exceção. Em 2004 foi criado um programa do governo federal chamado “Brasil Acessível” que procura estimular governos municipais e estaduais a desenvolver medidas que garantam a acessibilidade para pessoas com algum tipo de restrição de mobilidade e deficiêncianos sistemas de transporte, equipamentos urbanos e locomoção publica.

Entretanto algumas cidades e instituições privadas têm tratado com certa leniência o cumprimento destas leise deixando de lado os 14,5% dos brasileiros com algum tipo de deficiência (Censo de 2000), por exemplo, hoje nós temos um grande descaso com as calçadas de nossas cidadesos investimentos são irrisórios e quando muito há um investimento privado na adequação de edifícios, o setor de transportes e o planejamento urbano também merecem readequações que facilitem a locomoção dos portadores de deficiências. Um dos motivos de resistência alegados pelo setor privado em adequar as obrasé o custo, mas estudos comprovam, que se o projeto for feito adequadamente na questão da acessibilidade, o acréscimo na obra não passa de 0,01%, porque os custos se distribuem ao longo daobra, e isso vai se diferenciar de acordo com o porte da obra.
Tenho uma visão otimista sobre o futuro da acessibilidade no Brasil, pois cada vez mais e o governo e a sociedade estão atentos a esse direito, efiquei feliz ao ver recentemente na Folha de S. Paulo a iniciativa do governo federal em fazer investimentos de 10 bilhões até 2014 em melhorias para os deficientes, o que inclui a acessibilidade.
 * Carlos Alberto- É silvaniense, físico e engenheiro-civil do Grupo 5 Engenharia

P: Os governos federal, estaduais e municipais vem adotando medidas para a mobilidade e acessibilidade, pois sabem que o estrangulamento da mobilidade Urbana esta próximo. Nas grandes cidades brasileiras a tendência é que o usuário de transporte,venha a perder cada vez mais tempo no trânsito. O morador de São Paulo, perde hoje no mínimo três horas no transito, isto é; no seu percursos de casa para o trabalho e vice-versa. O aquecimento das industrias automobilística com a venda de veículos estão produzindo o inchaço nas nossa ruas e tornando nossas rodovias em avenidas. Por mais que adotem medidas, normas o governo tem que fazer sua parte, adotar o modelo americano, com a construção de megas rodovias e alavancar o transporte ferroviário, fluvial e marítimo. Nosso país é continental, não pode mais, deixar de investir em transporte de massa e privilegiar o usuário do automóvel. Fazem caminhões, e através de acoplamentos viram Bitrens, com cerca de oitenta meros de comprimento. Alguns andam a 10 km por hora na subida e outros acima de 120 km por hora no plano chegando a 140 km na descida. Não temos rodovias condizentes com esses megas caminhões. Que freio, seguram essas maquinas? Que custos teremos que pagar?




Q: Em questão a pergunta e ao tema como conseguiria resolver, comente com uma resposta em dissertativa-argumentativa de no minimo 15 linhas.




PS: Caso queiram comentar e deixa seu comentário plausivel para iniciamos um debate por favor não faça comentários inápropriados como legal, bacana e etc,  obrigado pela atenção.



Acessibilidade e mobilidade urbana D07Xwqb
Acessibilidade e mobilidade urbana Yjab9HN

^
subir
Data/hora atual: Qui 6 Ago 2020 - 19:51